O preço do impeachment

O preço do impeachment

O processo libertou o baixo Centrão do domínio do alto clero congressual.
O Grande Ajuste se reduziu ao aperto de um ou outro parafuso.

Marcos Nobre

Valor, 29/08/2016

Quanto mais próximo e certo foi se tornando o cadafalso de Dilma Rousseff, tanto mais o Grande Ajuste de Temer foi se resumindo ao aperto de um ou outro parafuso. Ficou clara a diferença entre quem torceu pelo impeachment do Grande Ajuste e quem o executou. Em nome do resultado, a torcida abriu mão até mesmo do controle antidoping. E aí ficou sem poder reclamar de jogadores que não conseguem mostrar no governo o mesmo desempenho que tiveram quando se tratava apenas de derrubar o governo anterior.Leia mais »

Anúncios

As divisões de Temer

As divisões de Temer
PT e PSDB estão a reboque do baixo Centrão.
Quem quiser entender como de fato funciona o governo Temer vai precisar parar de olhar para o PSDB e focar no baixo Centrão.

Marcos Nobre

Valor, 22/08/2016

Conta­se que, a determinada altura do seu segundo mandato, FHC ouviu do senador Tasso Jereissati a proposta de romper com o PMDB. A ideia do senador era consolidar um bloco mais coeso com o parceiro preferencial, o então PFL, atual DEM. Ainda não foram publicados os “Diários da Presidência” desse período, mas ali por maio de 2001 havia registros na imprensa de que o ex­governador do Ceará tinha chances de contar com o apoio de FHC para uma candidatura presidencial no ano seguinte.Leia mais »

O medo da guilhotina

O medo da guilhotina

A rejeição não é ao Estado, mas contra quem o dirige.
Qualquer abertura à nova energia social é entendida pelo sistema político como guilhotina universal para os personagens que o compõem.

Marcos Nobre

Valor, 15/08/2016
A brisa fresca da Olimpíada na chapa quente do sofrimento social não reverterá em favor do governo, em qualquer nível. Desde 2013, o que quer que qualquer governo faça é insuficiente ou equivocado. A hostilidade é permanente e dirigida contra todas as faces do sistema político. Tudo o que há de bom vem da ação da sociedade, independentemente da ação do Estado. O mérito de cada atleta se mede por sua capacidade de vencer obstáculos, a começar pela indigência do apoio estatal ao esporte.

Leia mais »

O fim das narrativas

O fim das narrativas 

O divórcio entre a sociedade e o sistema político vai perdurar.
No momento, o que se tem é apenas a áspera reafirmação de uma realpolitik sem qualquer outro lastro do que a própria sobrevivência do sistema político em sua configuração atual.

Marcos Nobre

Valor, 08/08/2016

Desde que o impeachment apareceu no horizonte como possibilidade real, ali pelo final de 2015, qualquer coisa que se dissesse fazia parte de uma “narrativa”. A formação forçada de dois grandes exércitos exigiu ajustes nos discursos ouvidos até então, exigiu uma unificação de posições conflitantes em nome de um objetivo comum. Durante o governo Lula, fixou-se a versão de que tinha sido inaugurada a nova etapa na história do país de classe média. A franja oposicionista concentrava seus esforços em denunciar esse projeto como pensado apenas para perpetuar um partido no poder.Leia mais »

Arena para a disputa entre Serra e Meirelles

Arena para a disputa entre Serra e Meirelles

O governo Temer se vê como germe de um novo polo de poder.
A unificação da base de apoio do governo Temer no Congresso faz parte do projeto maior de construir um novo polo de poder.

Marcos Nobre

Valor, 01/08/2016

Em março de 2006, o então prefeito de São Paulo, José Serra, deixou o cargo para concorrer ao governo do Estado. Foi quando seu vice, Gilberto Kassab, assumiu a prefeitura. Em 2008, Kassab foi eleito prefeito de São Paulo como cabeça de chapa. Filiado então ao DEM, Kassab considerou que sua vitória na eleição da maior cidade do país o credenciava automaticamente a ocupar a direção do partido a que pertencia.Leia mais »